Temática do Congresso

O CIC é dedicado ao avanço do conhecimento a respeito da consciência (normalmente entendida, neste contexto, como o princípio individual e inteligente que nos torna conscientes, ou a essência do nosso ser).

Qualquer trabalho acadêmico ou relatório de investigação científica que possa elucidar nossa compreensão da natureza, manifestação e atributos da consciência, é bem-vindo. Dentre estes se incluem artigos sobre os fenômenos que podem potencialmente revelar aspectos ou características da consciência, como fenômenos parapsíquicos ou fenômenos considerados como de caráter não-físico ou não-ordinário.

São também do escopo do CIC estudos que abordem, examinem, testem ou corroborem hipóteses a respeito da relação entre a consciência e a realidade, assim como modelos multidimensionais ou de múltiplos níveis.

Exemplos de artigos apropriados incluem (mas não se limitam a) aqueles que apresentam evidências originais ou perspectivas bem fundamentadas, em hipóteses ou temas relacionados aos abaixo listados:

Natureza e manifestação da consciência

• Conscienciometria (métodos para a avaliação ou medição dos atributos internos da consciência)
• Maturidade, refinamento ou evolução interna
• Cosmoética
• Interface entre a consciência e os veículos de manifestação (i.e, corpos físicos e não-físicos)
• Hipóteses a respeito da experiência com os corpos não-materiais
• Hipóteses sobre morte física e sobrevivência
• Autoconsciência multidimensional
• Lembrança de conhecimentos e memórias de antes do nascimento
• Restrição/Expansão da lucidez em realidades específicas, como na manifestação física, no período entre vidas e nas experiências fora-do-corpo
• Sincronicidade, carma ou lei da atração, sob uma perspectiva multidimensional e pluriexistencial

Fenômenos Parapsíquicos

• Percepção de bioenergias (campo vital, energia sutil, prana, chi)
• Experiências mentalsomáticas, tais como a expansão da lucidez e a cosmoconsciência
• Ocorrências evidenciadoras da influência da energia sobre indivíduos ou sobre a matéria
• Efeitos físicos relacionados à consciência
• Experiências fora-do-corpo (projeção consciente) ou outras habilidades parapsíquicas
• Fenômenos parapsíquicos (evidências, mecanismos, tipos, correlações)
• Experiências auto-investigativas com metodologias de primeira mão, como retrocognições e rememorações de período intermissivo (entre vidas) e experiências fora-do-corpo

Relação ou aplicação da ciência da consciência (Conscienciologia) e outras ciências

  • Biologia (parapsiquismo animal, vida, corpo energético, etc.)
  • Antropologia e abordagens antropológicas de fenômenos parapsíquicos
  • Medicina e saúde (aplicação de energia em processos curativos, chacras, doenças causadas por razões psicossomáticas ou bioenergéticas, etc.)
  • Orientação, psicologia, psiquiatria (aplicações e efeitos de conhecimentos e técnicas multidimensionais)
  • Aplicações de tecnologias para desenvolvimento parapsíquico, estados alterados de consciência, etc.
  • Aplicação de habilidades parapsíquicas em áreas profissionais

Ramificações das realidades não-ordinárias

  • Relações extrafísicas e assistencialidade
  • Programação existencial (planejamento e execução do objetivo de vida)
  • Estudos holobiográficos (perspectiva de múltiplas vidas)
  • Preparação para a próxima vida
  • Técnicas de aceleração da maturidade ou da evolução pessoal no período extrafísico (entre-vidas) e na vida física
  • Natureza dos ambientes extrafísicos (paraecologia, paratecnologia, parageografia, paraconstrução)

O Comitê Científico também aceita artigos que (1) abordem aspectos filosóficos, teóricos e metodológicos da pesquisa da consciência; (2) analisem experimentos e estudos de caso em primeira, segunda ou terceira mão; e (3) discutam medidas para fomentar o desenvolvimento geral da abordagem científica no estudo da consciência.

Artigos de pesquisa experimental podem utilizar-se das seguintes perspectivas

  • Primeira pessoa: metodologias de autopesquisa; análises de experiências pessoais; teorias desenvolvidas a partir de experiências diretas; metodologias de autodesenvolvimento; auto-experimentação ou desenvolvimento de técnicas de desenvolvimento das habilidades parapsíquicas.
  • Segunda pessoa: experiências intersubjetivas; metodologias baseadas em acoplamento áurico ou assimilação simpática; conhecimentos adquiridos através da facilitação, treinamento ou coaching parapsíquico e evolutivo; estudos de casos.
  • Terceira pessoa: estudos experimentais com medições físicas ou fisiológicas; análise de estudos anteriores sobre fenômenos parapsíquicos; estudos baseados em pesquisa de opinião pública; observações antropológicas relacionadas a experiências multidimensionais; outras metodologias científicas participativas, direcionadas ao entendimento das habilidades parapsíquicas e não ordinárias do ser humano.